O que é ibogaína? O que é iboga? - Clínica IBTA 
(19) 3844-8316 (19) 99167-7036 (19) 99678-1506 (19) 99313-4131 (17) 99727-1980 Chamar pelo WhatsApp
O que é ibogaína? O que é iboga?

O que é ibogaína? O que é iboga?

hr

Você já ouviu falar da ibogaína? Sabe quais benefícios ela pode trazer para o tratamento da dependência química? Se nunca ouviu falar dela, esse é o momento de conhece-la melhor. Confira!

O que é ibogaína?

Ibogaína é um fármaco extraído da raiz de Iboga, uma planta cuja origem é a África central. Os povos africanos nativos utilizavam essa substância para tratar diversas doenças.

Mais recentemente, foi descoberto que esta planta tem propriedades úteis para tratar a dependência química, pois em um tratamento de cinco dias é possível abandonar de vez essa doença que tanto causa sofrimento aos envolvidos.

A ibogaína tem por função reduzir a fissura e a abstinência, sintomas bastante comuns sentidos por quem está em tratamento. Ela tem apresentado resultados excelentes, o que tem encorajado cada vez mais pessoas a se submeterem ao seu uso.

Tipos de internação

Para receber tratamento, a internação pode ocorrer de 3 formas:

Internação Voluntária

A conscientização do problema por parte do dependente é o primeiro passo. Com isso se torna mais ameno o tratamento, o que não significa que ainda assim ele não será trabalhoso, mas que com o acompanhamento correto e direcionado a cura será possível.

Internação Involuntária

Há situações em que a internação deve se desenvolver do modo não voluntário, pois nem sempre o paciente se convence da necessidade de se tratar.

 Nestes casos, as pessoas próximas, normalmente os parentes, é que tomam as providências e caberá à clínica, por sua responsabilidade e dever legal, informar ao Representante do Ministério Público que uma pessoa deu entrada em seu estabelecimento por iniciativa de outros e não por iniciativa própria.

A necessidade dessa providência foi incorporada à legislação para impedir que houvesse abusos ou cárcere privado.

Internação Compulsória

Nestes casos, não se trata de escolhas, mas de determinação judicial, com base em declaração médica de que a faculdade do dependente de se autodeterminar encontra-se prejudicada.

Independente de que tipo de internação aconteça, é de suma importância só utilizar este fármaco com acompanhamento médico. Só assim será possível passar de forma segura por todos os dias de tratamento, desfrutando dos benefícios proporcionados pela substância.

Os excelentes resultados se devem ao trabalho sério e responsável da Clínica IBTA, que está sempre buscando informações e especializando cada vez mais seu quadro clinico para que o tratamento alternativo com a Ibogaína alcance resultados cada vez melhores. Venha nos conhecer!



SOLICITE O CONTATO DE NOSSO CONSULTOR AGORA!

hr

COMO FUNCIONA UM TRATAMENTO COM IBOGAÍNA?

hr

CONHEÇA NOSSO BLOG

hr
Drogas e ibogaína. O que é preciso saber sobre esta relação

Drogas e ibogaína. O que é preciso saber sobre esta relação

Drogas são veneno puro, algumas delas de morte lenta e a Ibogaína surge como uma potencial solução para atuar na cura total da dependência de drogas....

Ler mais

Setembro Amarelo - Mês de Combate ao Suicídio

Setembro Amarelo - Mês de Combate ao Suicídio

O suicídio é um fenômeno que pode afetar indivíduos de diferentes origens, classe sociais, idades, orientações sexuais e identidades de gênero. Mais ele tem sido a “segunda” causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos no mundo, atrás somente de acidentes de trânsito....

Ler mais

Padrão de segurança

Padrão de segurança

O tratamento a base de Ibogaína por si só é altamente seguro, porém para uma realização com maior segurança é preciso que o paciente esteja em abstinência por um período...

Ler mais

Por quê me tratar com ibogaína?

Por quê me tratar com ibogaína?

Estudos recentes mostram que os métodos convencionais de tratar a dependência química oferecem apenas de 1% à 5 % de sucesso, ou seja, a proporção de pessoas diariamente se tornando dependentes químicos em relação aos que conseguem sair com os recursos de tratamentos convencionais são desproporcionais e insuficientes....

Ler mais